Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

CINEBLOG

CINEBLOG

Óscares 2013 - Vencedores

Top:

Life of Pi (4)
Les Misérables (3)
Argo (3)
***

Melhor Ator Secundário
Christoph Waltz (Django Unchaiden)

Melhor Curta-Metragem de Animação
Paperman

Melhor Longa-Metragem de Animação
Brave

Melhor Fotografia
Life of Pi

Melhores Efeitos Visuais
Life of Pi

Melhor Guarda Roupa
Jacqueline Durran (Anna Karenina)

Melhor Caracterização
Les Misérables

Melhor Curta-Metragem
Curfew

Melhor Curta-Metragem Documental
Inocente

Melhor Documentário
Searching for Sugar Man

Melhor Filme Estrangeiro
Amour

Melhor Mistura de Som
Les Misérables

Melhor Edição de Som
Zero Dark Thirty e Skyfall

Melhor Atriz Secundária
Anne Hathaway (Les Misérables)

Melhor Montagem
Argo

Melhor Design de Produção
Lincoln

Melhor Banda Sonora Original
Life of Pi

Melhor Canção Original
Skyfall

Melhor Argumento Adaptado
Chris Terrio  (Argo)

Melhor Argumento Original
Quentin Tarantino (Django Unchained)

Melhor Realização
Ang Lee (Life of Pi)

Melhor Atriz Principal
Jennifer Lawrence (Silver Linings Playbook)

Melhor Ator Principal
Daniel Day-Lewis (Lincoln)

Melhor Filme
Argo

Óscares : Crónica de umas nomeações anunciadas


A pedido de várias familias, aqui ficam os meus two cents sobre as nomeações anunciadas esta tarde pela senhorita Hathaway.

Parece-me óbvio que a Academia se está a preparar para consagrar Avatar. Já me habituei à ideia, por isso nem me vou estar a chatear mais com isso. Sim, Avatar está longe de ser um filme perfeito mas, diga-se de passagem, é bem mais interessante que o vencedor do ano passado, o Slumdog Millionaire. A única dúvida que poderá eventualmente existir está na categoria de Melhor Realização. Kathryn Bigelow chega aos Óscares com um palmarés invejável, e se saísse do Kodak Theater com a estatueta para a melhor realização seria a primeira mulher a fazê-lo. A Academia costuma ser sensível (e bastante permeável) a este tipo de coisas.

Inglourious Basterds está destinado a ser o grande perdedor da noite (é o meu favorito, mas nestas coisas as preferências pessoais não interessam para nada) e ainda não vai ser desta que o Tarantino vai receber o mais do que justo Óscar.

Aquilo que realmente me aborreceu foi o tão badalado excesso de nomeados na categoria de Melhor Filme. Sim, os departamentos de marketing de algumas produtoras vão ficar mais satisfeitas ao poder escarrapachar "nomeado para melhor filme" na capa do dvd. Mas a coisa perde credibilidade. O District 9, por exemplo, é um bom filme mas já que era para nomear um filme sci-fi, a lista ficaria mais bem servida com o Moon. Não é tão comercial, mas não deixa de ser uma obra mais consistente. O filme dos Coen está lá porque... é dos Coen, e o The Blind Side... porque tinham que ser 10.

Dia 7 de Março cá estaremos para confirmar estas considerações... ou desmentir.

Podem ver a lista completa dos nomeados aqui, ou na página oficial, aqui.

Alec Baldwin e Steve Martin vão apresentar os Óscares


No dia 7 de Março de 2010, o Kodak Theatre vai assistir à primeira dupla de hosts na história dos Óscares desde 1957: o regressado Steve Martin junta-se a Jack Donaghy Alec Baldwin na apresentação da 82ª cerimónia de entrega dos prémios da Academia.

 

Por muito que se queira o regresso de Jon Stewart temos que admitir que a coisa promete. Agora se me permitem vou acabar de ver mais uma temporada de 30 Rock.

Nomeados há muitos, seus palermas

Numa decisão artisticamente abstrusa, a Academia resolveu regressar ao passado e abrir já este ano a categoria de Melhor Filme a 10 nomeados.

 

 

Eu percebo que seja uma manobra interessante do ponto de vista comercial. Com mais nomeados podem-se aumentar os géneros e consequentemente os públicos que eventualmente irão assistir à gala. Mas por outro lado... querem mesmo fazer-nos acreditar que existem assim tantas obras-primas vindas de Hollywood?

Pelo menos já se sabe que a Pixar vai receber a primeira nomeação. Inconsequente, uma vez que os critérios finais se mantém os mesmos, mas já dá para enfeitar uns DVDs.

Sean Penn destaca-se em Bollywood

Se não fosse pelos surpreendentes números músicais de Hugh Jackman e pela estatueta que Sean Penn «roubou» à ultima hora a Mickey Rourke, poder-se-ia muito bem dizer que a 81ª cerimónia de entrega dos Óscares tinha sido uma das previsíveis dos últimos tempos.

 

 

Muitos estavam apreensivos com a escolha de Jackman para host da gala. Era compreensível. A tradição exigia um humorista e a Academia deu-lhe um show man. Mas bastaram pouco minutos para o australiano arrancar à plateia a primeira ovação da noite, graças a uma animada e original apresentação músical dos nomeados. Na retina vai ficar durante muito tempo o dinâmismo de Frost/Nixon versão Jackman/Hathaway.

O grande vencedor da noite foi, sem surpresas, "Slumdog Millionaire". O domínio arrasador da película de Danny Boyle concretizou-se com a vitória em oito categorias - incluindo a de Melhor Filme e Realizador - e é caso para dizer que Hollywood abriu definitivamente as portas a Bollywood.

Nas categorias femininas não houve surpresas. Kate Winslet foi distinguida com o mais que esperado prémio de Melhor Actriz por "The Reader" e Penélope Cruz levou para Espanha a estatueta de Melhor Actriz Secundária por "Vicky Cristina Barcelona".

Faltava uma categoria para encerrar definitivamente a cerimónia quando acontece a surpresa da noite. Quando todos esperavam a coroação de Mickey Rourke como Melhor Actor do Ano, o nome de Sean Penn é pronunciado do Kodak Theater, dando a "Milk" o segundo prémio da noite - a juntar-se ao reconhecimento na categoria de Argumento Original - surpreendendo o próprio Penn que se viu obrigado a recorrer a um trémulo e improvisado discurso de aceitação.

Na categoria dedicada aos «secundários», Heath Ledger recebeu a mais que certa (e merecida) homenagem póstuma sob a forma de Óscar de Melhor Actor Secundário, pelo seu desempenho em "The Dark Knight".

Na animação, "Wall-E" venceu e convenceu levando mais um Óscar de Melhor Animação para a Pixar. Já "Okuribito" ("Departures") deu ao Japão a vitória na categoria de Filme Estrangeiro.

O derrotado da noite foi "The Curious Case of Benjamin Button", de David Fincher, que de rei das nomeações (13) passou a grande desilusão (embora também ela esperada). Apenas três estatuetas conquistadas e todas em categorias técnicas deixam o filme do homem que viveu ao contrário com um imenso amargo de boca.

"Doubt" e "Frost/Nixon" sairam de mãos a abanar e confirmaram o estatuto de «enche categorias» da noite.

(Texto publicado originalmente em Rascunho.net)

Aqui estão os vencedores dos Óscares

Ou estariam, se esta carta que apareceu na rede fosse verdade. Em todo o caso, se estiverem a pensar apostar a dinheiro com estes nomes, aconselho-vos a pensar duas vezes.

Não me responsabilizo por eventuais dados causados na conta à ordem dos meus ilustres leitores.

 

 

Já agora, se alguém tiver as chaves da máquina do tempo à mão, fazia-me o favor de confirmar?

Blogue a 24fps que não necessita de óculos 3D. Online desde 2003.

Pesquisar

 

Webcomic

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.