Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

CINEBLOG

CINEBLOG

Top 11 : Filmes de Terror para o Dia dos Namorados

Para assinalar este bonito e frio dia de S. Valentim, pedi à Carla Rodrigues, minha amiga e ilustre ilustradora da Garagem de Kubrick, que partilhasse com os meus queridos leitores as suas escolhas cinematográficas para um Dia nos Namorados de sonho. O resultado não podia ser melhor. 
 



No cinema, é raro encontrar um feriado ou dia especial que não tenha uma catrefada de filmes passados à volta dele. Do Natal ao 4 de Julho, estão lá todos. O género do terror não é excepção. Portanto, e como comemoração do Dia de S. Valentim (vulgo Dia dos Namorados), nada melhor do que fazer um belo top com os filmes de terror dedicados a este dia, ou em que o amor tenha um lugar central na história. Quer sejam solteiros ou não, passem os olhos pela lista e escolham o que vão ver no próximo dia 14. Vamos lá a isso!

 

 

11. Carrie (1976)

 


Mais um exemplo para reforçar de que devemos sempre agir com simpatia para quem nos rodeia, nem que seja só porque nunca se sabe o que nos pode sair na rifa. Parecia que finalmente Carrie estava no bom caminho para encontrar alguma felicidade – tinha um par para o baile de finalistas, e não era um qualquer, mas sim um rapaz popular do liceu. O que podia correr mal? Muita coisa, como o grupo que decidiu arruinar a noite de Carrie descobriu da pior maneira. Lição a aprender: nunca se deve brincar com as emoções de alguém com psicocinese.
 

 

 

10. Candyman (1992)

 


Um dos filmes de terror mais interessantes da década de 90, Candyman conta a história do filho de um escravo, Daniel Robitailles, que se apaixonou por uma mulher branca. Como punição de se ter envolvido com ela, o pai da rapariga ordena que Daniel seja torturado e morto. 100 anos depois, Daniel, agora Candyman, volta como uma entidade sobrenatural compreensivelmente chateada, tratando de assassinar qualquer pessoa que se arrisque a dizer o seu nome 5 vezes. Uma vez que foi o amor que atirou o pobre escravo para esta trapalhada de ser entidade sobrenatural, Candyman não podia deixar de estar na lista. É sempre preciso ter cuidado com as safadas das emoções.
 

9. Fright Night (1985)

 


Já que os vampiros estão na moda, nada melhor do que incluir um dos bons filmes de vampiros. Tudo começa quando Charlie repara que há algo de estranho no vizinho que se mudou para a casa à frente da sua. Depressa acaba por descobrir que o vizinho é um vampiro – mas ninguém, nem a namorada, acredita nele. Quando a vida dela é colocada em perigo, Charlie tem de arranjar maneira de derrotar o seu aguçado vizinho. Cómico e assustador ao mesmo tempo, a fórmula romântica de Fright Night (“herói tem de salvar a amada das garras do mal”) pode parecer gasta, mas acaba por resultar bem graças a um cast e realização competentes. Com rumores de que um remake já anda na calha, pode-se sempre aproveitar o dia de S. Valentim para dar uma espreitadela ao original.
 

8. Braindead (a.k.a. Dead Alive)  (1992)

 


Mais sangrento e hilariante do que isto, é impossível. Quando a mãe de Lionel se transforma num zombie depois de ser mordida por um estranho animal enquanto se tentava intrometer no namoro do filho com Paquita, ele tem não só de esconder que a mãe é um zombie como tem de conter a infecção, que lentamente se vai espalhando pela cidade. Como se não bastasse, tem ainda de reconquistar a sua amada Paquita. Para variar um bocadinho, este filme não explora o lado negro do amor, mas sim o seu lado mais luminoso – Paquita é a motivação por detrás de Lionel e é graças a ela que o nosso protagonista acaba por ganhar coragem e transformar-se num herói, ganhando a felicidade que sempre mereceu (mesmo estando coberto de gosma de zombie).
 

7. All The Boys Love Mandy Lane (2008)

 


Mandy Lane era uma rapariga absolutamente comum no seu liceu, até que, dado Verão, ficou invulgarmente jeitosa, o que lançou os rapazes num frenesim para a tentarem conquistar. Torna-se óbvio que alguém leva essa competição demasiado a sério quando alguns dos rapazes começam a morrer uns a seguir aos outros, provando de uma vez por todas que o amor obsessivo não é lá muito saudável.

 

6. Night of the Creeps (1986)

 


Se há um filme que mistura perfeitamente lesmas alienígenas, zombies, e bailes universitários, é este. Depois de, sem querer, libertar um hospedeiro infectado por parasitas de outro planeta, o nosso protagonista tem não só que descobrir como impedir uma invasão de seres do outro mundo, mas também de ganhar coragem para convidar a rapariga por quem se apaixonou para o baile. O argumento funde eficazmente os filmes sci-fi dos anos 50, os clássicos de zombies e até o estilo dos filmes de John Hughes da mesma década. Recomenda-se!

 

5. May (2002)

 


Um dos filmes de terror mais underrrated dos últimos anos, May gira à volta de uma rapariga do mesmo nome, estranha e solitária, que não consegue construir ligações com ninguém à sua volta. Assim, procura ansiosamente alguém para amar e, quando não é bem sucedida, não hesita em recorrer a medidas mais drásticas. É um conto bem escrito, bem interpretado e inquietante sobre a solidão e a procura desesperada de amor. E quem pode dizer que nunca sentiu aquela pontinha de solidão no dia 14, hein (mas espero que nunca tenha sido a este ponto – pelo sim, pelo não, mais vale não terem bisturis em casa)?
 

4. Zombie Hooneymoon (2004)

 


A vida de recém-casados nunca foi tão difícil. Pouco depois do casamento de Danny e Denise, Danny é atacado por um zombie. A transformação não é imediata, mas a fome por carne humana não tarda a aparecer, e cedo Denise percebe que a situação não é fácil de resolver. Ambos querem ficar juntos, mas como pode uma relação sobreviver quando um deles é um zombie sedento de cérebros? Apesar de o tema não se ligar ao Dia dos Namorados, aborda de uma forma diferente o amor, as suas fronteiras, e o que as pessoas fazem para salvar uma relação – incluindo proteger a súbita inclinação canibal do marido dos olhos da vizinhança.
 

3. Valentine (2001)

 


Para tirar já do caminho a minha opinião sobre este filme: acho que é um pedaço de cócó. Mas merece estar na lista, afinal o Dia dos Namorados é um ponto central na história. Centra-se num grupo de amigas que começam a receber cartões e presentes do Dia dos Namorados um pouco mais mórbidos que o habitual. Rapidamente descobrem que estão a ser enviados por um geek de quem todas fizeram troça no liceu - o problema é que, 13 anos depois, elas já não sabem quem ele é. O cast é mau (inclui a "talentosa" Denise Richards), a história é medíocre e o terror, nem vê-lo. É um slasher muito fraquinho que, se não fosse a sua ligação ao dia de S. Valentim, não era visto em tops de coisa nenhuma. Pelo menos relembra-nos que devemos ter simpatia para toda a gente, especialmente perto do dia de S. Valentim. É que há quem seja muito sensível.
 

2. My Bloody Valentine (2009)

 


Mais um produto da onda de remakes de Hollywood e, como a maior parte deles, bem inferior ao original. A essência da história pouco muda, mas os personagens tornam-se irritantes e o suspense quase nulo. Visualmente, foi adicionado bastante fogo-de-artifício (já que o filme chegou aos cinemas em 3D, o que significa que há salpicos de sangue constantemente a voar para o ecrã), mas isso não foi suficiente para compensar a fraqueza dos outros pontos. 
 

1. My Bloody Valentine (1981)

 


Um mineiro, único sobrevivente de um acidente provocado por dois colegas que estavam mais ansiosos por ir ao baile do Dia dos Namorados do que por fazerem o seu trabalho, quer impedir que hajam mais bailes desse género. Para isso, começa a enviar caixas de bombons com corações humanos lá dentro, e, quando isso não chega, saca da sua picareta e vá de tomar medidas mais drásticas. Este slasher canadiano é competente e a história entrelaça-se bem com as tradições do dia de S. Valentim. Pelo sim, pelo não, se viverem numa cidade mineira, mais vale deixarem este dia por assinalar. Com tantas picaretas nas redondezas, nunca se sabe.

 

Carla Rodrigues

Blogue a 24fps que não necessita de óculos 3D. Online desde 2003.

Pesquisar

 

Webcomic

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.