Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

CINEBLOG

CINEBLOG

"King Kong" - o trailer

O tão esperado trailer de "King Kong" (que até teve direito ao seu próprio teaser trailer), está finalmente online...

Cliquem aqui e vejam a besta em acção!

Mas... não sei porque há algo que não me convence muito... Não vos parece tudo digital de mais? Esperemos que ainda não seja a versão final...

Sponsored by Volkswagen (porque? Sei lá... vocês perguntam cada coisa...)


O Post dos Posters #16

"Chronicles of Narnia" (a resposta da Disney ao Senhor dos Anéis) ; "Cinderella Man" (esperem por ele nos Óscares) ; "Constant Gardener" ; "The Island" (um thriller futurista que me desperta alguma curiosidade) ; "V for Vendetta" (tem estilo sim senhor) ; "Saraband" (já estreou cá, mas ainda não estreou nos states... e precisava de mais um para fazer os 6...)

Batman Begins


2005
COM: Christian Bale, Michael Caine, Liam Neeson
REALIZADO POR: Christopher Nolan



Ok... os Batmans do Tim Burton eram do melhor... há 15 anos atrás. Porque... afinal quais eram as grandes referências a nível de super-heróis adaptados? O "Superman"? "Flash Gordon"?... Não era difícil Burton fazer melhor... Afinal de contas ele é um génio.

Mas os tempos mudaram. A concorrência agora é feroz. Os filmes de super-heróis evoluiram, e "Batman" estava a ficar para trás. (e atenção que quando falo de "Batman" estou a falar dos dois primeiros filmes... nem vou falar nas coisas que o Schumacher andou a fazer.)

Foi então que contrataram o Chris Nolan, um dos realizadores da brilhante geração Fincher e Singer, Christian Bale, um dos actores mais promisores e respeitados da actualidade e um elenco de estrelas daquelas que sabem mesmo representar (não daquelas que são fruto de Marketing e só servem para encher o cartaz).

O resultado foi aquela que na minha opinião é a melhor adaptação de um super-herói de sempre. Podem até não concordar, mas a verdade é que este filme encheu-me as medidas.

Tal como nos dois "Spider-man", este filme não é tanto um filme sobre o herói em si, mas mais sobre quem está dentro do fato. O Batman em si, não é quem mais importa. Quem importa é Bruce Wayne, e as razões que o levaram a vestir o fato de borracha (mas sem mamilos...). Todas as suas dúvidas, todos os seus medos, todas as suas motivações...

Para além disso, agora podemo-nos finalmente identificar com o mundo do Batman. Não é um mundo fantástico, com estátuas gigantescas, engenhocas surreais e personagens estranhas. Aqui tudo é real. Gotham já não é a aquela cidade fantástica que saiu da cabeça de Burton. É uma cidade perfeitamente normal... e isso é bom.

Em relação ao trabalho dos actores, acho que se houvesse um prémio para melhor casting, este filme deveria recebê-lo. Bale é o melhor Batman que se poderia encontrar, absolutamente perfeito... (até a sua mudança de voz quando está na pele de Batman). Se lhe juntar-mos as presenças de Michael Caine e Morgan Freeman, a estranha e interessante seriedade de Gary Oldman, a eloquência de Liam Neeson e o novato mas assustador Cillian Murphy, este torna-se no melhor e mais adequado elenco do ano.

66 anos depois, "Batman" chegou finalmente ao cinema em todo o seu esplendor e ... por culpa de todo um conjunto de factores como os argumentistas, os actores, os realizores (tudo muito técnico), podemos dizer que o futuro do "Batman" está assegurado.

(e aquele final é de deixar os fãs com água na boca...)
(9/10)

NO OUVIDO:
The Scarecrow: There is nothing to fear except fear itself.

Henri Ducard: Your parents' death was not your fault. It was your father's.

Earle: Didn't I fire you?
Lucius Fox: Yes, you did, Mr. Earle. But I got another job - yours.

Bruce Wayne: After Alfred pulls his curtains - bats are nocturnal!

Bruce Wayne: A grown man who runs around the city dressed as a bat clearly has issues.

Ra's al Ghul: Justice is balance. You burned down my home and left me for dead. Consider us even.

Carmine Falcone: So when did the nut take over the nuthouse?

Carmine Falcone: "Yeah, Doctor, it's terrible, the walls are closing in on me and blah blah blah...."

Bruce Wayne: I won't kill you, but I don't have to save you.

Bruce Wayne: Attention, everyone.
[bate no copo]
Bruce Wayne: I want to thank everyone for coming out and drinking up all my booze.
[risos dos convidados]
Bruce Wayne: My father never did have a shortage of freeloaders like you people, thank you. Also all you phoneys, all you…
[risos]
Bruce Wayne: two-faced friends, you sycophantic suck-ups who smile through your teeth at me, please, leave me in peace. Please go. Stop smiling, It's not a joke, please leave. The party's over. Get out.

Lt. James Gordon: There's this new guy who is involved in an armed robbery, double homicide, and has a tease for being theatrical like you. He even has his own calling card.
[dá ao Batman uma carta]
Batman: I'll look into it.

Star Wars Episode III : Revenge of the Sith


2005
COM: Hayden Christensen, Ewan McGregor, Natalie Portman, entre outros...
REALIZADO POR: George Lucas



Não sei se vocês já repararam, mas eu não sou um fã incondicional do "Star Wars". Nunca fui e acho que nunca serei... E vou contar-vos um segredo: Eu sempre achei os filmes da primeira trilogia chatos como tudo... As batalhas espaciais duram mais do que o que deviam, aqueles diálogos são demasiado barrocos, e toda aquela treta da política nunca me interessou muito.

Não que sejam maus filmes... reconheço o seu valor histórico e a sua qualidade... mas simplesmente não são para mim. Nem isso nem os "Star Treks" ou os "Galacticas"...

Por isso, acho que o maior elogio que posso fazer a este filme é que me deu mesmo vontade de ir ver os últimos 3 episódios da saga.

É bom... Gostei.
Toda aquela transformação do Anakin em Darth Vader (que temos que admitir que é mesmo a única personagem realmente interessante de toda a saga), toda aquela sensação de que os limites entre o bem e o mal não estão assim tão definidos, toda aquela destruição no seio dos Jedis... tudo isso deixou-me fascinado. Pela primeira primeira vez posso dizer que entendo finalmente a saga. E este último filme é tão bom que acho que nem eram precisos os 2 anteriores.

Aqui ficam os meus parabéns ao sr Lucas, não por ter voltado às origens (como a maioria das pessoas dizem), mas sim por ter aproveitado todo o potencial que não foi aproveitado nos dois capítulos anteriores.

Realmente interessante...


(8/10)

NO OUVIDO:
Supreme Chancellor: I hope you trust me, Anakin.
Anakin Skywalker: Of course.
Supreme Chancellor: I need your help, son. I want you to be the eyes, ears, and voice of the Republic. Anakin, I'm appointing you to be my personal representative on the Jedi Council.
Anakin Skywalker: Me? A Master? I'm overwhelmed, sir. But the Council elects its own members. They will never accept this.
Supreme Chancellor: I think they will. They need you, more than you know.

Supreme Chancellor: Get help. You're no match for him. He's a Sith lord.
Obi-Wan: Chancellor Palpatine, Sith lords are our specialty.

The Emperor: Henceforth, you shall be known as Darth... Vader.
Anakin Skywalker: Thank you, my Master.

Obi-Wan: He is in great danger.
Senator Amidala: From the Sith?
Obi-Wan: From himself.

The Emperor: Lord Vader, can you hear me?
Darth Vader: Yes, master. Where is Padmé? Is she safe? Is she all right?
The Emperor: It seems in your anger, you killed her.
Darth Vader: I? I couldn't have! She was alive! I felt her!
Darth Vader: NOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO!

Mr. & Mrs. Smith


2005
COM: Brad Pitt, Angelina Jolie, Vince Vaughn
REALIZADO POR: Doug Liman



Humor, explosões, perseguições de carros, tensão sexual, Angelina Jolie com um chicote... Que mais se pode pedir a um blockbuster de Verão?

Eu por mim dou-me por satisfeito. Aqui está o filme perfeito para quem quiser descansar um pouco dos stressantes dias inteiros de praia. Claro que não esperem grandes reflexões filosóficas... mas quem precisa disso quando se tem uma sensualíssima miss Jolie, e um interessantemente cómico sr. Pitt ?

Aliás, a tensão entre os dois actores (que não sei ao certo até que ponto é encenada) é o ponto alto deste filme. Ambos possuem a dose certa de carisma e a química entre ambos é tão palpável como... a própria miss Jolie... (ok, aqui está uma comparação que não vai ficar para a história, esqueçam que escrevi isto).

Vejam isto como uma mistura entre o "True Lies" e o "The war of the roses"... Se conseguirem visualizar o conceito não estarão muito longe do resultado final... Mas mesmo assim tenho que admitir que este filme não é tão bom como o filme do sr. Governator. Custa um pouco a arrancar... e talvez se prolongue tempo de mais.

Mas mesmo assim vale a pena... E pronto. Tenho dito...

(7/10)

NO OUVIDO:
John Smith: Come to Daddy.
Jane Smith: [ela bate-lhe e pontapeia-o] Who's your Daddy now?

John Smith: How many? Do you want me to go first? Okay, not that I keep count or anything... but somewhere around high 50s low 60s... not that it matters or anything.
Jane Smith: 312.
John Smith: 312?
Jane Smith: Some were two at a time.

Eddie: Mom! We're on high alert here! I almost killed you right there!
Jane Smith: You still alive, baby?

Jane Smith: Happy endings are just stories that haven't finished.

Jane Smith: Where've you been?
John Smith: I just went down to the sports bar. Put a little money on the game.
Jane Smith: How'd you do?
John Smith: I got Lucky.

Jane Smith: There's this huge space between us, and it just keeps filling up with whatever we don't say to each other. What's that called?
Conselheiro matrimonial: Marriage.

Jane Smith: Any last words?
John Smith: The new curtains are hideous.

John Smith: [para o conselheiro matrimonial] Ask us the sex question again.
Jane Smith: [susurra] John.
John Smith: Ten.

Pág. 1/4

Siga-nos:

Blogue a 24fps que não necessita de óculos 3D. Online desde 2003.

Pesquisar

 

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.