Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

CINEBLOG

CINEBLOG

"The Simpsons Movie" - clips

Uns moços que foram assistir ao Comic Con (um festivalzito sem importância que está a decorrer nos States, onde APENAS se podem ver as primeiras imagens de alguns dos MELHORES filmes a surgir nos próximos tempos), deitaram mãos à câmara de vídeo e toca a filmar as primeiras imagens - em produção - do filme dos "Simpsons".

É bom ver que o velho humor do miolo dos anos 90 está de volta... (e contra esse, poucos são os desenhos animados que podem fazer frente)

Podem assistir aos clips em baixo, no bom velho You Tube:



O que se passa por lá #1

"Lady in The Water"
Incompetência ou Incompreensão?


Rotten Tomatoes: 21%
MetaCritic: 35/100


"It comes off as tedious, pretentious, self-indulgent, talky and so garbled it might have been improvised by the actors."
Seattle Post-Intelligencer | William Arnold

"Crazy as this might sound, it turns out that self-indulgent ramblings designed to put your children to sleep are pretty much the opposite of art"
The Globe and Mail (Toronto) | Liam Lacey

"There is something bizarrely compelling about the movie. It's slower than watching a train wreck but invokes that same level of disbelief."
Los Angeles Times | Kevin Crust

"This is sloppy filmmaking, and it's likely to wipe away whatever luster still remains to Shyamalan's reputation."
ReelViews | James Berardinelli

"Shyamalan has followed The Village with another disappointment -- a ponderous, self-indulgent bedtime tale."
Variety | Brian Lowry

***

A crítica americana não poderia ter sido pior com o novo de Shyamalan.

... Será que ele perdeu mesmo o dom? Ou será pura incompreensão?

Em qualquer dos casos... Tenho medo...

"Pirates of the Caribbean: Dead Man's Chest"




"Damn you, Jack Sparrow..."

Aqui há uns anos, a Disney, por obra e graça do espirito santo, conseguiu encontrar o seu Santa Graal. Num mesmo filme conseguiu juntar acção, comédia, aventura, romance e um trio de protagonistas de luxo. O resultado foi o aclamar por parte da crítica e do público, e uma recaudação mais do que interessante nas bilheteiras.

Claro que não se poderia ficar por aí... deitou mãos à obra e 'bora fazer uma trilogia. E por muito difícil que possa parecer... conseguiu numa segunda parte, superar o original.

A aventura não só continua lá, como foi melhorada, introduzindo algumas das sequências mais imaginativas dos últimos tempos (confirmando Verbinski como um dos cineastas mais impressionantes da actualidade em termos visuais), a comédia continua uma constante (e não estou a falar da típica comédia americana, mas sim de comédia realmente... cómica, com situações que vão muito para além do simples humor físico) e a relação entre o trio de protagonistas revela-se agora mais complexa (e consequentemente mais interessante) do que à primeira vista poderia parecer, com a aparição de um inesperado triângulo amoroso.

Se a tudo isto se acrescentar um vilão de luxo (e o regresso de um velho conhecido), uma tripulação visualmente fantástica, uma conspiração que roça as mais altas instâncias da monarquia britânica, um bicho gigante capaz de esmagar um navio com os seus tentáculos, um Jack Sparrow com a habitual bipolaridade e falta de escrúpulos - a quem tudo lhe acontece - e um final de deixar água na boca, o resultado não poderia ser menos do que excelente.

Este é o filme de Verão por excelência...

O seu maior defeito?... Raios... ainda faltam 6 meses para o outro...

(8/10)

"Cars"




"I create feelings in others that they themselves don't understand"

Falar de um filme da Pixar, acreditem ou não, é uma tarefa complicada. Não podemos limitar o nosso comentário a um desfile de elogios. Uma crítica tem que falar dos aspectos positivos e dos negativos, mas a verdade é que estes últimos são tão dificéis de encontrar como um judeu numa feira de enchidos.

Sim, a Pixar é a maior e ponto final. Mais uma vez, e agarrando em algo tão banal e pouco interessante como são os carros, conseguiu criar todo um rol de personagens emocionalmente complexas, carismáticas e sobretudo entranháveis, capazes de nos fazer rir, chorar e odiar... personagens mais reais que a maioria que desfila durante todo o ano nos ecrãs de cinema de todo o mundo.

Esta é a verdadeira magia do cinema. Contar uma história, entreter o espectador, ensinar-lhe uma lição de vida e fazê-lo sair da sala de cinema com vontade de mudar o mundo. Há poucos estúdios capazes de o fazer... mas sem dúvida que a Pixar é um deles.

Para além da perfeição técnica (as paisagens deste filme são de um detalhe e de um primor técnico únicos) e da introdução daquelas que são algumas das mais interessantes personagens secundárias presentes em qualquer filme de animação (o hilariante Mater, o intrigante Doc Hudson - com a voz de Paul Newman - , o italianíssino Luigi cujo maior sonho era conhecer um Ferrari...), este "Cars" tem o dom de ter realmente algo para contar, preenchendo todos os minutos com diálogos excepcionais, nunca abrandando o ritmo de viagem, e mantendo o espectador atento do primeiro ao último minuto (e olhem que 116 minutos de um filme animado não é brincadeira nenhuma!), introduzindo alguns brindes sempre agradáveis como a presença de Jay Leno (a.k.a Jay Limo na sua versão "carro") ou um cameo vocal do próprio Michael Schumacher.

Sinceramente não sei que mais posso dizer... Provavelmente o único "defeito" de "Cars" é apostar mais no conteúdo do que na aparência, e com isso arriscar-se a perder algum público mais jovem (aparentemente não pode lutar contra a "fofura" do "Over the Edge").

Mas também estou certo que aqueles que preferirem o concorrente agora, daqui a uns anos vão comparar os dois e constatar que a evolução é uma constante da vida.

(9/10)

Pág. 1/4

Siga-nos:

Blogue a 24fps que não necessita de óculos 3D. Online desde 2003.

Pesquisar

 

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.