Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

CINEBLOG

CINEBLOG

Blockbuster deixa Portugal : Pagam os piratas pelos preguiçosos


Uma das notícias dos últimos dias prende-se com a saída da Blockbuster (a maior cadeia mundial de aluguer de filmes) de Portugal. Ao que parece a empresa culpa a pirataria pelos sucessivos decréscimos da facturação e a consequente saída do território nacional. Eu como um antigo grande frequentador de clubes de vídeo não posso deixar de lamentar o sucedido, mas acredito que a culpa é tanto da pirataria como de um modelo de negócio que não se soube adaptar a um novo paradigma audio-visual.

Vamos lá entrar no nosso Delorean particular e recuar até aos anos 80 e 90. O Schwarzenegger era rei e senhor do box-office, só existiam 2 canais de televisão (ou no máximo 4), o VHS era o formato de vídeo caseiro por excelência (e nem sequer lhe chamávamos VHS... eram apenas "cassetes de vídeo"), o tempo que os filmes levavam a chegar das salas de cinema ao formato caseiro podia ser de mais de um ano, e antes de serem colocadas à venda tinham 2 ou 3 meses em que só se podiam alugar. Nessa altura os clubes de vídeo eram um aspecto de culto da cultura cinéfila de todo o mundo e fazia todo o sentido que assim fosse.

Agora vamos regressar a 2010. Compram-se dvds por 2 ou 3 euros nos supermercados; os filmes estão em dvd pouco depois de sairem das salas de cinema (e com o acesso fácil às lojas virtuais norte-americanas por vezes até podemos adquirir um filme antes de estrear no nosso país); serviços como o Netflix permitem descarregar filmes directamente para o disco-rígido no nosso computador (para não falar dos video on demand da Zon e do Meo). Tudo isto é legal e perante tudo isto o modelo de negócio da Blockbuster é de um arcaísmo aberrante. O mundo moderno está em constante mudança e não perdoa o sedentarismo comercial.

 

Mas claro, culpar a pirataria é mais fácil.

19 comentários

Comentar post

Pág. 1/2

Siga-nos:

Blogue a 24fps que não necessita de óculos 3D. Online desde 2003.

Pesquisar

 

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.